Visita ao Convento da Arrábida & Gruta da Lapa de Sta Margarida

button

 

 

convento3convento8convento9lapa2convento4convento1lapa1convento7OLYMPUS DIGITAL CAMERAlapa3convento6convento2

EVENTO: Visita ao Convento da Arrábida & Gruta da Lapa de Sta Margarida

DATA DE REALIZAÇÃO: 18 de Fevereiro 2018

DESCRIÇÃO DO EVENTO: 

Neste evento vamos ficar a conhecer através de uma Visita Guiada o Convento da Arrábida. Aproveitaremos ainda a manhã para uma visita à Lapa da Gruta de Santa Margarida, e faremos uma pequena caminhada até uma das praias das redondezas.

Convento da Arrábida:

O Convento da Arrábida, construído no século XVI, abrange, ao longo dos seus 25 hectares, o Convento Velho, situado na parte mais elevada da serra, o Convento Novo, localizado a meia encosta, o Jardim e o Santuário do Bom Jesus.

No alto da serra, as quatro capelas, o conjunto de guaritas de veneração dos mistérios da Paixão e algumas celas escavadas nas rochas formam aquilo a que convencionou chamar-se o Convento Velho.

O convento foi fundado em 1542 por Frei Martinho de Santa Maria, franciscano castelhano a quem D. João de Lencastre (1501-1571), primeiro duque de Aveiro, cedeu as terras da encosta da serra.

Anterior à construção, existia onde é hoje o Convento Velho, a Ermida da Memória, local de grandes romarias, junto da qual, durante dois anos, viveram, em celas escavadas nas rochas, os primeiros quatro frades arrábidos: Martinho de Santa Maria, Diogo de Lisboa, Francisco Pedraita e São Pedro de Alcântara. D. Jorge de Lencastre, filho do 1º duque de Aveiro, continuou as obras mandando construir uma cerca para vedar a área do convento. Mais tarde, seu primo D. Álvaro, mandou edificar a hospedaria que lhe servia de alojamento e projectou as guaritas, na crista do monte, que ligam o convento ao sopé da montanha, deixando, no entanto, três por acabar. Por sua vez, D. Ana Manique de Lara, nora de D. Álvaro, mandou construir duas capelas, enquanto o filho de D. Álvaro, D. António de Lencastre, mandou edificar, em 1650, o Santuário do Bom Jesus.

Com a extinção das ordens religiosas em 1834, o convento, as celas e as capelas dispersas pela serrania sofreram várias pilhagens e enormes estragos causados pelo abandono.

Em 1863, a Casa de Palmela adquiriu o convento mas as obras só começaram nas décadas de 40 e 50 do século seguinte. Quarenta anos depois, em 1990, o seu então proprietário, Manuel de Souza Holstein Beck, vendeu o convento e a área envolvente, num total de 25 hectares, à Fundação Oriente, a única instituição, que, em seu entender, dava garantias de manter os mesmos valores com que, no século XVI, os seus antepassados o entregaram aos arrábidos.

Lapa da Gruta de Santa Margarida:

Situada no sopé da Serra da Arrábida, junto ao mar, aonde se chega por barco ou por terra por um caminho construído ali por um ermitão, descendo-se cerca de 200 degraus de pedra até ao local, a gruta da Lapa de Stª Margarida é um lugar invulgar muito visitado ainda hoje,  onde se encontra uma capela em estado degradado construída ali no século XVII.  Nela existiam 3 imagens (de Nª Srª da Conceição, Stº António e Stª Margarida) nos nichos que se vêm na figura acima mas que desapareceram com o tempo, estando uma delas guardada no Convento da Arrábida.

Neste lugar faziam-se muitas peregrinações nos séculos passados, principalmente os sírios dos Pescadores vindos nos seus barcos engalanados de todo o lado, e o ambiente tornava-se festivo mas de  autêntico Recolhimento Espiritual, onde as pessoas  oravam e cantavam unidas pelo mesmo sentimento de fé  independentemente de sua convicção pessoal. Hoje não é mais assim e o local até se encontra um tanto desprezado.

A gruta mede cerca de 22 metros de comprimento (o números de Anciãos ou Sábios) mas como se liga em algumas partes com outras partes mais pequenas, mede na totalidade 40 metros  (número referido várias vezes na Bíblia como marco de acontecimentos importantes.  Exe: os 40 dias e 40 noites de chuvas no Dilúvio, os 40 dias que Moisés passou no Monte Sinai, os 40 dias que Jesus passou no deserto, etc.),  e pode conter até 400 ou 500 pessoas que no acto litúrgico no passado em louvor à Santa ali venerada, em Missa Cantada, com archotes na mão, dava ao tecto (de estalactites) efeitos surpreendentes que impressionavam a nossa visão.  Nesta gruta brotava também, de uma fonte, a mais bela e fina água que entretanto deixou de correr por razões que talvez tenham a ver com obstruções de rochas ou galhos secos no percurso da água pela Serra, tal como aconteceu numa fonte do Convento da Arrábida que entretanto foi desobstruído.

LOCAL E HORA DO ENCONTRO: Convento da Arrábida
Convento da Arrábida
Apartado 28 – EN 379-1
2925 Azeitão

Latitude: 38º 28’’ 27.34N
Longitude:     8º 59’’ 45.05W
Mapa do local do Encontro: Seguir ligação

Visita da manhã

Hora do Encontro: 9h 50m
Hora prevista para o final: 13h

Distância a percorrer: 4 kms

Nível de Dificuldade: 2

Equipamento: Calçado e roupa adequada para caminhadas

Valor da inscrição: 12€- Por transferência bancária para o IBAN: PT 50.0036.0442.99106000403.46.

Inclui: Seguro de Acidentes Pessoais
Guias e Acompanhamento

Observações: Só as inscrições efectuadas até às 16h30 do dia anterior à data de realização do evento permitem a activação do Seguro de Acidentes Pessoais

 

Posted in Caminhadas, Eventos, visitas guiadas and tagged , , .