fbpx

março, 2023

25mar(mar 25)7:0026(mar 26)19:30DestaqueCaminhando entre o Tejo e o Ocreza7:00 - 19:30 (26) Terminal Rodoviário Junto à Estação do Oriente (PERTO DO AKI)Tipo Evento:Caminhada,Fim-de-Semana EVENTONovo

Horário

25 (Sábado) 7:00 - 26 (Domingo) 19:30

Ponto de Encontro

Terminal Rodoviário Junto à Estação do Oriente (PERTO DO AKI)

Detalhes do Evento

Descrição do Evento

EVENTO: Caminhando entre o Tejo e o Ocreza

DATA DE REALIZAÇÃO:  25 e 26 de Março de 2023

DATA LIMITE DE INSCRIÇÃO: 31 DE JANEIRO 2023

DESCRIÇÃO DO EVENTO: “Caminhando entre o Tejo e o Ocreza – das Portas do Ródão às Portas de Almourão”

Nesta proposta de atividade da Caminhando iremos fazer umas magníficas caminhadas ao longo das margens do Tejo, do Ocreza e da Ribeira do Cobrão, tendo oportunidade de captar cenários de excelência, desde as Portas do Ródão, à Ilha das Virtudes e das Portas do Almourão, apenas para aguçar o apetite dos caminhantes. Faremos ainda uma visita à Aldeia de Xisto da Figueira, e um passeio em Proença-a-Nova, onde ficaremos bem alojados no Hotel das Amoras. Haverá tempo também para desfrutar de um passeio de barco até ao Monumento Natural das Portas do Ródão. Mais um evento a não perder!

Estes serão alguns dos mais importantes locais de interesse longo das várias caminhadas: 

  • Monumento Natural das Portas do Ródão (rio Tejo)
  • Portas do Almourão (rio Ocreza)
  • Ribeira da Foz do Cobrão e Praia Fluvial do Penedo dos Cágados
  • Moinhos
  • Aldeia de Xisto do Cobrão e da Figueira
  • Proença-a-Nova
  • Vila Velha de Ródão (zona ribeirinha, Castelo do Rei Wamba, fortes das Invasões Francesas)
  • Ilha das Virtudes
  • Serra das Talhadas
  • Paisagens naturais

HORÁRIO: Partida de Lisboa às 7h00
REGRESSO: Chegada a Lisboa pelas 19h30

Dia 25 de Março (sábado)

Caminho de Xisto da Foz do Cobrão (Portas do Almourão)

A primeira parte do percurso segue junto ás margens do Rio Ocreza num caminho de pé posto junto a grandes penhascos quarteziticos onde muitas vezes pudemos observar o voo dos Grifos ou as Lontras a nadar nas águas do rio. Mais à frente encontramos as Portas do Vale Mourão, geosítio classificado no Geoparque Naturtejo e local de uma beleza de cortar a respiração. É com os olhos nesta paisagem deslumbrante que passamos junto da povoação de Chão das Cervas e subimos até ao ponto mais alto do percurso onde avistamos a povoação de Vale do Cobrão. Seguimos então junto á Ribeira do Cobrão que nos vai levar novamente ao Rio Ocreza, passando novamente por grandes penhascos quarteziticos e pela pequena piscina fluvial da Ribeira do Cobrão. Caminhando por entre Oliveiras e terrenos de cultivo chegamos novamente à Foz do Cobrão onde encontramos os moinhos que outrora serviam os habitantes nas margens do rio.
Sem dúvida um percurso de grande beleza em que a necessidade de vencer alguns desníveis é compensada com uma paisagem deslumbrantes.

Caminhada: “Foz do Cobrão e Portas do Almourão”

Nível de dificuldade do percurso: 3.5 (Escala de 1 a 5)

Extensão do Percurso: 12 kms

Percurso circular

Duração prevista: 3h45m

Portas do Almourão

As Portas de Almourão situam-se entre a Aldeia do Xisto da Foz do Cobrão (Vila Velha de Ródão) e Sobral Fernando (Proença-a-Nova), correspondendo à garganta do rio Ocreza. Trata-se de uma ocorrência geológica que resulta da ação deste rio, cujas águas rasgaram as imponentes escarpas quartzíticas, e de um geosítio classificado no Geoparque Naturtejo, local de uma beleza de cortar a respiração. Esta diversificada paisagem geológica suporta ecossistemas muito bem preservados, que albergam uma importante área de nidificação de aves de rapina e outras espécies muito importantes como, por exemplo, o melro azul, a lontra, o texugo e o esquilo. Neste ponto, deparamo-nos com um desfiladeiro com 400 metros de profundidade, que dá lugar a um vale com uma paisagem selvagem e deslumbrante, onde nos sentimos pequenos perante a grandiosidade da Natureza. No local regista-se a presença constante de espécies animais com elevado estatuto de proteção, entre as quais se destaca a colónia de grifos que nidifica nos rochedos que ladeiam o rio Ocreza, a cegonha-preta, o bufo-real, a garça real e a águia-cobreira, entre outras espécies.

Aldeia de Xisto de Figueira

Figueira é aldeia em xisto, praticamente plana e de fácil circulação. O seu núcleo central esconde no seu emaranhado de ruelas o forno comunitário. Na sua envolvente terrenos agrícolas povoados de oliveiras dão origem ao “ouro verde” que já foi a riqueza da aldeia.

Proença-a-Nova

Proença-a-Nova é uma das doze vilas do Grão-Priorado do Crato, localizada entre as ribeiras do Alvito e da Isna, tendo-se chamado originalmente “Cortiçada” e, mais tarde, “Vila Melhorada”. O primeiro foral dado a Proença-a-Nova data de 1244 pelo Prior da Ordem do Hospital Frei Rodrigo Egídio. D. Manuel I reformou todos os forais, cabendo o «Foral Novo» a Proença-a-Nova em 1512. A justificação do nome “Cortiçada” está relacionada com a abundante produção de cortiça e elevado número de colmeias (também chamados cortiços) que, em tempos, foram de grande importância na região.

– Check-in em Hotel de 4 estrelas
– Jantar de grupo

Dia 26 de Março (domingo)

9h30 – Caminhada “À Conquista do Castelo do Rei Wamba”

Esta caminhada desenvolve-se em caminhos em ziguezague e passaremos por alguns monumentos militares (edificações que foram construídas e utilizadas em três importantes momentos da história militar: a Guerra dos Sete Anos, a Guerra da Sucessão de Espanha e a 1º Invasão Francesa, entre os séculos XVlIll e XIX). Subiremos a serra das Talhadas e com vistas panorâmicas de cortar a respiração. Ao chegar ao Castelo do Rei Wamba, desfrutamos da paisagem criada pelo rio Tejo, pelas cristas quartzíticas e ainda pelos vestígios da exploração de ouro da época dos romanos no Conhal do Arneiro, marcada por uma acumulação de blocos arredondados de quartzito numa área de vários hectares, na margem esquerda do rio Tejo.

O Castelo do Rei Wamba

O Castelo do Rei Wamba ergue-se numa escarpa sobranceira ao rio Tejo, sobre as Portas de Ródão, num local de beleza surpreendente e grande importância estratégica. Acredita-se que a sua origem remonte ao tempo da ocupação muçulmana e esteja relacionada com a doação do território da Açafa, por D. Sancho I, à Ordem do Templo, em 1199, embora se admita uma origem anterior e a tradição oral o associe ao Rei Wamba, rei visigodo. A torre atalaia remanescente terá sido erguida, nos séculos XII a XIII, por indicação dos Templários. A poucos metros encontra-se o templo de Nossa Senhora do Castelo. Enquanto construção para fins militares, deve ser considerado uma torre de vigia, embora mais complexa que o comum destas estruturas. Durante a Reconquista Cristã, teria como principais funções a vigilância da linha de fronteira do Tejo das incursões muçulmanas provenientes do sul. A partir dos tempos modernos, o Castelo viria a ser utilizado, em particular no século XVIII e XIX, como base de artilharia, tendo em vista impedir a passagem do Tejo e a entrada no Alentejo, de acordo com uma rota de invasão através da Beira Baixa, como sucedeu durante a Guerra dos Sete Anos e na 1.ª Invasão Francesa (1807).

Nível de dificuldade do percurso: 3.5 (Escala de 1 a 5)

Extensão do Percurso: 12 kms

Percurso circular

Duração prevista: 4h00m

– Almoço pic-nic ou em snack em Vila Velha de Ródão

15h – Sugestão de Passeio de Barco no rio Tejo (duração: 1h) ao Monumento Natural das Portas do Ródão

16h15 – Final da atividade e regresso a Lisboa

Equipamento: Calçado e roupa adequada para caminhadas

Valor da inscrição:

O Valor inclui:

– Transporte desde Lisboa para os locais descritos em Autocarro de Turismo
– Alojamento em Hotel de 4 estrelas, com pequeno-almoço incluído (Hotel com piscina exterior)
– 2 Caminhadas e 2 passeios
– Jantar de grupo (bebidas não incluídas)
– A opção de alojamento proposta contempla várias tipologia de quartos
– Caminhadas com Guia e Acompanhamento
– Seguros obrigatórios

170€ (Preço por pessoa em quarto duplo)
200€ (Preço por pessoa em quarto individual)
Valor de reserva: 50€

DATA LIMITE DE INSCRIÇÕES: 31 DE JANEIRO 2023 OU ATÉ ATINGIR O NÚMERO DE LUGARES DISPONÍVEIS

Notas: 

a) As Inscrições são limitadas e as opções de alojamento limitadas à disponibilidade existente na altura da reserva.

b) Os percursos poderão ser alterados de acordo com as condições climatéricas

c) No caso de ter um grupo interessado nesta viagem contacte-nos, temos soluções personalizadas

Alguns dos pontos de interesse deste evento:

• Monumento Natural das Portas do Ródão (rio Tejo) • Portas do Almourão (rio Ocreza) • Ribeira da Foz do Cobrão e Praia Fluvial Penedo dos Cágados • Aldeia de Xisto da Figueira • Proença-a-Nova • Vila Velha de Ródão • Castelo do Rei Wamba • Ilha das Virtudes e Serra das Talhadas • Paisagens naturais •

Localização

Ponto do Encontro

Terminal Rodoviário Junto à Estação do Oriente (perto do LEROY)

Latitude: 38°46’3.02″N
Longitude: 9° 6’7.03″W

Horário: Partida de Lisboa às 7h00
Regresso: Chegada a Lisboa pelas 19h30m

Ver no Google Maps

Características do Percurso e Equipamento

0(Esc 1 a 5) - Nível
Dificuldade
0 Km's
Distância
0 Dias
Duração

Circular
Circuito

Equipamento

Calçado e roupa adequada para caminhadas

RESERVA


FAÇA JÁ A SUA INSCRIÇÃO

170€ por pessoa

  • 200€ em quarto individual

Inclui:
• Transporte desde Lisboa para os locais descritos em Autocarro de Turismo/Minibus ou Carrinha de Turismo
• Alojamento em Hotel de 4 estrelas, com pequeno-almoço incluído
• Jantar de sábado
• Guia e acompanhamento
• Seguro de acidentes pessoais
• Seguro de responsabilidade civil

Não Inclui:
• Todos os itens não mencionados.

Observações:
• Só as inscrições efectuadas até às 16h30 do dia anterior à realização do evento permitem a activação do Seguro de Acidentes Pessoais.
• AS VAGAS SERÃO PREENCHIDAS DE ACORDO COM O ENVIO DO COMPROVATIVO DE PAGAMENTO

Formulário de Inscrição

Go to Top