fbpx

abril, 2023

15abr9:0018:00Caminhos de Fátima do Tejo - Etapa 49:00 - 18:00 Pavilhão de Portugal - Parque das Nações 1990-231 LisboaTipo Evento:Caminhada,Grande Caminhada

Horário

(Sábado) 9:00 - 18:00

Ponto de Encontro

Pavilhão de Portugal - Parque das Nações 1990-231 Lisboa

Detalhes do Evento

Descrição do Evento

Esta proposta de Caminhada tem por objetivo percorrer os Caminhos de Fátima – Rota do Tejo, num total de 143 kms, entre o Parque das Nações em Lisboa e o Santuário de Fátima, em 5 etapas! Mais um evento a não perder!

Dia 4 Março – Etapa 1 ( Lisboa – Vila Franca de Xira) – 33 kms

Dia 18 Março – Etapa 2 ( Vila Franca de Xira – Azambuja) – 19 kms

Dia 1 Abril – Etapa 3 ( Azambuja – Santarém) – 33 kms

Dia 15 Abril – Etapa 4 ( Santarém – Monsanto) – 30 kms

Dia 6 Maio – Etapa 5 ( Monsanto – Fátima) – 28 kms

INSCRIÇÕES ATÉ DIA 28 DE FEVEREIRO 2023

NOTAS IMPORTANTES:

1 – Este evento realiza-se com um número mínimo de 12 pessoas

2 – As 3 primeiras etapas permitem sempre o retorno ao ponto de encontro utilizando o comboio

3 – Em caso de interesse a organização tratará da logística, nas últimas etapas com vista a assegurar o regresso ao ponto de partida (com eventual acréscimo de custos a partilhar entre os participantes)

Etapa 1 – O Estuário do Tejo

Este primeiro dia do Caminho inscreve-se num cenário marcado pela incomparável beleza da paisagem do estuário do Tejo, onde a água é povoada de mouchões ou pequenas ilhas e os afluentes e braços de rio formam os esteios que recortam as margens. Na frente ribeirinha, predominam as várzeas, onde se revelam os povoados e se mantém o eco-sistema natural da variada fauna e flora tradicional. As encostas formam uma moldura natural, com oliveiras centenárias, onde se desenha o casario pontuado de antigas quintas e onde se erguem igrejas, ermidas e fontanários. Esta jornada tem troços exclusivamente pedonais e troços mistos.

Etapa 2 – Esteiros e Valadas

O percurso é emoldurado, a nascente, pela característica paisagem da Lezíria do Tejo, sulcada por esteiros e valadas, onde se erguem freixos e canaviais. A poente, a moldura é desenhada pelas serranias, onde emergem pinheiros e sobreiros.

Ao longo desta etapa, natureza e paisagem envolvem-nos. Poderemos mesmo percorrer uma parte da Vala do Carregado, tal como depois a Vala Real da Azambuja, onde a proximidade da água é marcante. Mas a paisagem urbana histórica também apresenta motivo de contemplação, nomeadamente os núcleos junto das velhas quintas e o património cultural edificado das aldeias e vilas, como Vila Nova da Rainha e Azambuja, onde as igrejas e equipamentos culturais são elementos de referência essencial.

Etapa 3 – Pela Lezíria

O Caminho continua sempre em plena Lezíria do Tejo, território onde predominam planícies banhadas pela água que irriga e fomenta a agricultura dos férteis campos. Muitas vezes, esta paisagem, de planície aluvionar, é compartimentada por sebes formadas por espécies indígenas.

Ao longo das margens do rio, onde freixos frondosos ensombram as margens, podem surgir aprazíveis praias fluviais. O fenómeno cíclico histórico que, devido às cheias, faz alterar as margens do rio e seus afluentes e dá origem à construção de diques, imprime carácter a muitas aldeias e lugares, como Valada do Ribatejo, Reguengo do Alviela ou Porto de Muge.

Etapa 4 – À Sombra das Oliveiras

Esta é uma jornada extensa e intensa e dá novo sentido e orientação geográfica ao Caminho, já que inflete para o território montanhoso do maciço cársico, onde se localiza o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. Por isso, sugerimos que divida a jornada em cinco troços, com paragens de permeio.

O planalto da Serra de Santo António marca a transição para esta zona de declives acentuados, com serranias e penhascos, vales profundos e pequenas covas agrícolas. Este é também o território ancestral que separa e liga as planícies fluviais do Tejo ao Litoral.

Etapa 5 – Pelas Serras de Aire e Candeeiros

O Caminho prossegue agora pelo território das Serras de Aire e Candeeiros. Neste cenário, ao longo de serranias desertas, emergem pequenas covas com aproveitamento agrícola ou mesmo covões, em cujas vertentes se formaram os povoados.

Neste ambiente de ruralidade, a agricultura e a pastorícia tradicional também marcam a paisagem humanizada com os tradicionais muros de pedras que limitam propriedades e protegem rebanhos e manadas, bem como os inesperados abrigos de pastores construídos totalmente e artesanalmente em pedra.

A natureza é sempre dominante, com as suas formas e configurações naturais, com destaque para as conhecidas grutas e lapas, mas também para os insólitos campos de lapiaz ou o acentuado polje de Mira-Minde.

A progressiva aproximação a Fátima é marcada pelo contraste entre a ruralidade tradicional e a expressão de urbanidade que, naturalmente, a construção do Santuário gerou. A cidade de Fátima, retomando a tradição histórica em Portugal, é o único centro urbano formado no século XX junto de um local de culto e peregrinação.

Alguns dos pontos de interesse da caminhada

• Caminhos de Fátima – Rota do Tejo • Paisagens naturais sobre o rio Tejo e as Lezírias •

Localização

Ponto do Encontro

Pavilhão de Portugal
Parque das Nações
1990-231 Lisboa

Latitude: 38°45’56.41″N
Longitude: 9° 5’41.12″W

Hora do Encontro: 8h 50m
Hora prevista para o final do evento: 18h

Ver no Google Maps

Características do Percurso e Equipamento

Nível 0
Dificuldade
0 km's
Distância
0 Dias
Duração

Linear
Circuito

Equipamento

Calçado e roupa adequada para caminhadas

RESERVA


FAÇA JÁ A SUA INSCRIÇÃO

15€ por pessoa / etapa

Inclui:
• Guia e acompanhamento
• Seguro de acidentes pessoais
• Seguro de responsabilidade civil

Não Inclui:
• Todos os itens não mencionados.

Observações:
• Só as inscrições efectuadas até às 16h30 do dia anterior à realização do evento permitem a activação do Seguro de Acidentes Pessoais.
• AS VAGAS SERÃO PREENCHIDAS DE ACORDO COM O ENVIO DO COMPROVATIVO DE PAGAMENTO

Formulário de Inscrição

Go to Top